You are currently viewing Marien Calixte Jazz Music Festival 2022 terá Torcuato Mariano, Amaro Freitas, Thaysa Pizzolato e mais
Foto: Torcuato Mariano, Thaysa Pizzolato, Amaro Freitas (Divulgação, Divulgação, Imprensa)

Marien Calixte Jazz Music Festival 2022 terá Torcuato Mariano, Amaro Freitas, Thaysa Pizzolato e mais

Após hiato, festival retorna a Vitória e no formato online nos dias 18 e 19 de março

Por Luiz Athayde

Após um forçado período sabático em função da pandemia de Covid-19, o Marien Calixte Jazz Music Festival retorna com força total nos dias 18 e 19 de março no Parque Pedra da Cebola, em Vitória. E também no formato online.

A fim de manter o alto nível da edição de 2019, que contou com o lendário experimentalista musical Hermeto Pascoal, os organizadores escalaram novamente um line-up de gabarito nacional e internacional, como o veterano guitarrista, compositor e produtor argentino radicado no Brasil, Torcuato Mariano. Além de configurar o quadro da produção musical dos programas The Voice Brasil e The Voice Kids, ambos na Rede Globo, ele coleciona atuações ao lado de nomes como Cazuza, Lobão, Flávio Venturini e Gal Costa desde 1981. 

Seu show será uma celebração de 40 anos de carreira, com repertório focado em sua discografia como artista solo, iniciada em Estação Paraíso, lançado em 1991, até o mais recente, Estação Brasileira, de 2019. E não é só isso; às 14h de sexta (18), Mariano fará o Masterclass “Produção sobre o enfoque da guitarra”, no Palácio Sônia Cabral, no Centro.

Outra atração é o aclamado artista recifense Amaro Freitas. Oriundo da periferia da capital pernambucana, sua gana lhe rendeu status de promessa a ícone internacional do jazz, graças à sua “abordagem do teclado tão única, que é surpreendente”, como frisou a Downbeat Magazine. Freitas chega a Vitória com três discos de estúdio no portfólio, sendo o mais novo, Sankofa (2021), uma verdadeira ode ao Brasil Negro.

Do ‘quintal de casa’, uma das representantes é a tecladista, compositora e produtora musical Thaysa Pizzolato. Integrante da banda Auri, ela também é conhecida por ser uma musicista extremamente requisitada, ao trabalhar em com artistas das mais variadas esferas musicais, como André Prando, Rising Bones e Melanina MCs.

Sua estreia na edição 2022 do evento também revela o caminho mais amplo e diverso adotado há tempos pelos grandes festivais de jazz. Cortesia de seu EP instrumental calcado no synthwave, Low Hype Machine, editado por vias independentes em 2021. Ao seu lado, Pizzolato irá contar com o também tecladista, Pedro Moscardi, o baixista Bernardo John e a baterista Nathália Arrivabene; e promete “uma viagem musical potente pelos universos da música eletrônica, pop, jazz, funk e world music”, como diz no release oficial.

E ainda sobre o universo eletrônico, também tocam a dupla Madela, do Chile, em um híbrido de electro, pop e música folclórica latino-americana; Esdras Nogueira (ex-Móveis Coloniais de Acaju) e seu grupo, apresentando o show “Transa de Caetano Veloso”, uma interpretação pessoal e instrumental do clássico álbum de 1972. Além de ministrar o Masterclass “Vivendo de Música Instrumental” no dia 19 (sábado) às 14h, também no Sônia Cabral; e o premiado multi-instrumentista, arranjador e compositor, especialista em improvisos e experimentações, Chico Chagas.


A abertura, marcada para as 9h30, será por conta do pianista Pedro de Alcântara, onde irá apresentar um repertório voltado para o público infantil, com enfoque na música instrumental brasileira de todos os tempos e regiões. Não menos importante está a Camerata Jovem Vale, tendo como convidado, Ricardo Herz, com a participação especial do percussionista Pedro Ito. E mesmo nos intervalos, haverá música: assinada pela Malê Dixieland.

O evento será gratuito, mas limitadíssimo, tendo em vista que o mesmo seguirá as medidas vigentes exigidas pelo Decreto Municipal de Vitória; e isso inclui, por obrigatoriedade, a apresentação do passaporte de vacina (Covid-19) completo na entrada do evento ou resultado negativo para Covid-19 em teste tipo RT-PCR realizado até 48 horas antes da entrada, ou teste de Antígeno, realizado no dia do evento.

A capacidade é de até 350 pessoas, e os ingressos para o primeiro dia do festival (18/03 – sexta-feira) se encontram disponíveis no Sympla. Já o de sábado deverá ser acessado por este link.

Sobre o Festival:

Tendo na linha de frente os produtores culturais Daniel Morelo e Simone Marçal,o evento é também uma homenagem ao lendário jornalista e especialista em jazz, Marien Calixte. Carioca de nascimento mas radicado no Espírito Santo desde os 10 anos de idade, ele também foi produtor,  gestor cultural, diretor de teatro e escritor, tendo publicado 20 livros. Marien faleceu em 2013, aos 78 anos de idade, vítima de Mal de Parkinson.

Mais Marien Calixte Jazz Music Festival pode ser conferido nos links:

Facebook
Instagram
Site Oficial

Dúvidas e informações: 27 99930-1103

Please follow and like us:
Faça sua doação para incentivar nossos redatores.

Deixe um comentário