Brian Eno cria “orquestra cósmica” com sons de estrelas

Assista o vídeo para “Starsounds”, feito em colaboração com Starmus e DNEG

Por Luiz Athayde

Brian Eno voltou com um novo “projeto espacial”. O músico e produtor britânico colaborou com a equipe da Starmus – festival focado em celebrar a astronomia, exploração espacial, música e afins – e a empresa de efeitos visuais DNEG para a realização de uma orquestra cósmica, regida pelos sons das estrelas.

Em 2005, o astrofísico e mentor do Starmus Garik Israelian criou uma biblioteca de ondas sonoras acústicas produzidas dentro de corpos estelares, como Alpha Centauri, Eta Bootis e Beta Hydra, e em 2016 fez uma seleta de gravações e entregou a Eno, que as organizou em uma nova composição.

O músico britânico pegou os infra-sons (ondas sonoras mais graves) inaudíveis das estrelas e as acelerou de modo que pudessem ser ouvidas, sem extrair suas propriedades individuais.

Foi então que o Dr. Israelian convidou Paul Franklin e Oliver James, ambos do DNEG, para criar imagens que casassem com a sonoridade de cunho misterioso da composição.

Extraídas do satélite SOHO, da NASA, a peça audiovisual ganhou o sugestivo nome de “Starsounds”.

Confira o resultado abaixo.

Espaço e música ambiente nunca foi novidade na vida artística de Eno. Além de recentemente ter seu nome em um asteróide, em 1983 Brian, seu irmão Roger Eno e Daniel Lanois assinaram a trilha sonora do documentário da BBC For All Mankind, onde mostra imagens da Apolo 11 na Lua.

O álbum, Apollo – Atmosphere & Soundtracks, teve recentemente uma reedição estendida em vinil duplo, contando com faixas inéditas, como “Capsule”, usada para promover o registro.

Dos lançamentos da classe  de 2020, Eno editou os álbuns, Dokument #2, colaboração com Laurie Anderson e Ebe Oke; e Mixing Colours, juntamente com seu irmão Roger. E ainda tem a trilha do documentário Ram – sobre o industrial designer alemão Gary Hustwit –, agendado especialmente para o Record Store Day, no dia 29 de agosto.

Deixe um comentário