Big Paul Ferguson (Killing Joke) anuncia voo solo com colaboração de Mark Gemini Thwaite e lança o vídeo “Extrapolate”

‘Virtual Control’ sai pela Cleopatra Records no dia 25 de junho

Por Luiz Athayde

O baterista de mão cheia do Killing Joke, Big Paul Ferguson  se encontra nos preparativos para lançar seu primeiro álbum solo. Se chama Virtual Control  e sua data de lançamento está agendada para o dia 25 de junho pelo icônico carimbo Cleopatra Records.

Além de comandar as baquetas na lendária falange post-punk / industrial inglesa, Ferguson é conhecido como produtor e por tocar / ter tocado em tantas outras bandas, como Pigface, Murder Inc. e Warrior Soul.

Por isso mesmo, nada mais coerente que chamar alguém alinhado às suas visões e ritmo para produzir o material. Além de trazer Tim Skold (Marilyn Manson, KMFDM) para um feat, o responsável por colaborar massivamente no seu vindouro trabalho foi o guitarrista e produtor Mark Gemini Thwaite (confira entrevista exclusiva que fizemos com ele em 2019 neste link), conhecido por integrar formações e trabalhos solo como The Mission, Tricky e Gary Numan; mas atualmente atuando na banda solo de Peter Murphy, bem como nas bandas Lords of Acid e The Wonder Stuff.

“Mark foi apresentado a mim há muito tempo, quando ele e o falecido grande Paul Raven tinham um projeto juntos. Só começamos a trabalhar juntos quando Mont Sherar me pediu para fornecer uma faixa como acompanhamento para seu livro de fotografias do Killing Joke, Twilight of the Mortals”, disse Paul Ferguson com exclusividade ao Class of Sounds. “Eu tinha alguns poemas que recitava com a percussão quando eu pensei que isso  talvez pudesse funcionar e Mont disse que o Mark poderia ajudar a desenvolver  essa ideia. E ele estava certo.”

Com o mesmo afinco, MGT recorda como se deu a parceria:

“Eu conheço os caras do Killing Joke há anos, inicialmente fiz amizade com [o baixista] Paul Raven, em 1989, através do amigo em comum Bobby Rae Mayhem, com quem eu tocava no Spear of Destiny… nós tocamos juntos algumas vezes e continuamos amigos… isso levou inadvertidamente a uma introdução a Big Paul depois que Raven morreu em 2007” , disse o guitarrista.

“Enviei a Paul uma cópia do álbum Mob Research que gravei com Raven, e quando Paul foi sondado para enviar uma faixa solo para o [vinil 7 polegadas do] livro de Mont Sherar ‘Twilight of the Mortals’, Mont sugeriu que eu colaborasse com Paul nesta faixa. Acho que foi cerca de 5 anos atrás… 7 músicas depois, a gente tinha o EP Remote Viewing, que foi lançado em 2018 [e] passamos o lockdown de 2020 trabalhando no próximo registro de Paul, Virtual Control.”

Em meio a muitos elogios ao compatriota sônico, Paul revelou detalhes mais técnicos acerca do processo criativo de seu primeiro disco cheio:

“É ótimo colaborar com Mark, não poderia pedir mais. Ele chega de onde eu parei e sempre encaixa as peças que faltam”, comenta. Em 2020 pensei em adicionar algumas faixas e relançar o EP, mas uma coisa levou à outra e aqui estamos nós com um álbum de 10 faixas chamado Virtual Control. Desta vez, porém, as músicas que dei a Mark eram mais completas com melodias de baixo e teclado, um pouco de guitarra, mais cantanda menos palavras faladas.”

Como primeiro single, “Extrapolate”; uma música naturalmente guiada pelo prisma percussivo – tanto orgânico quanto eletrônico  –, em uma coesão de camadas sonoras endossadas pelos vocais hipnóticos e melancólicos de Ferguson.

Há também certa dose de agonia e ansiedade, resultante direta da pandemia da Covid. O baterista comenta (via Rock At Night): “Minhas reflexões sobre as dicotomias, sociais e pessoais, desses tempos. Como nossas vidas estão sendo afetadas pelo isolamento aliado ao bombardeio de informações conflitantes. Nossa confiança no que é real e verdadeiro sendo desafiada diariamente.”

A mixagem da faixa traz assinatura de Tom Dalgety (Pixies, Opeth, Simple Minds, Rammstein), e vídeo chancelado pela Cleopatra. Confira:

Se após sentir o primeiro gosto do que será o álbum, ainda restam sombras de dúvidas sobre a qualidade do mesmo, o Grande Paul revela que se não fosse por essa química, Virtual Control sequer sairia do papel. Ou não da forma que chegará nas prateleiras sônicas no fim de junho:

“É muito gratificante ter alguém reagindo favoravelmente às suas ideias estranhas e ser capaz de elevá-las como Mark  fez, adicionando não apenas ótimos ganchos de guitarra, mas também elementos de baixo e teclado e depois de muitas idas e vindas. Estou muito feliz com sua mixagem. Não tenho dúvidas de que este material ainda seria demos no meu laptop se não fosse pela facilidade com que ele e eu trabalhamos juntos e os toques mágicos que ele traz.”

Virtual Control estará disponível nos formatos CD, vinil e nas plataformas digitais. Para acessar a pré-venda, clique aqui. Abaixo, mais detalhes incluindo a capa e a lista de músicas.

01. Lapdogs
02. Shiny Toys
03. The Unraveling
04. Extrapolate
05. Sea Of Judgement
06. Seeping Through The Cracks feat. Tim Skold
07. Data Lama
08. Glass Houses
09. Plausible Deniability
10. Dystopian Vibe feat. Jürgen Engler



Esta matéria foi alterada em 1º de maio de 2021 para acrescentar as citações do músico Paul Ferguson feitas exclusivamente para o Class of Sounds, bem como um parágrafo referente ao processo de criação do álbum “Virtual Control”.

Deixe uma resposta