M E R O S: projeto post-rock faz estreia discográfica com “Pele”

Disco reúne seus dois EPs anteriores mais duas faixas inéditas

Por Luiz Athayde

A quantidade de músicos em voo solo produzindo material não cabe no almanaque brasileiro. É verdade que na superfície nacional, o que mais tem aparecido é o tal o indie mpbístico de caras, bocas e cores, do “mais amor por favor”.

Traçando um caminho à parte – e também submerso – vem um músico paulista, de vivência curitibana e residente em Singapura, Helder Filipov, conhecido pelo projeto M E R O S.

Helder Filipov (Divulgação)

Tendo lançado anteriormente os EPs “In” e “Out, Filipov agora chega com sua estreia discográfica Sina, por carimbo próprio (independente). O disco foi co-produzido por Vivian Kuczynski e Leonardo Towns, totalmente à distância, diga-se; já que os produtores moram em Curitiba.

Das oito faixas, apenas duas são inéditas: “Sina” e a instrumental “Memento”. Enquanto uma é um dos pontos fortes do registro, a outra encerra de forma sublime, bem aos estilos Explosions in the Sky, The American Dollar e correligionários.

As outras músicas que permeiam seus quase 30 minutos são envoltas a uma camada sônica essencialmente post-rock, mas com influências folk, e que também passam por nomes – citados pelo músico – como Bon Iver, Scalene, at-J e Cícero; este último bem visível por sinal.

Por mais clichê que soe ter a reflexão como uma espécie de tópico Helder Filipov revela que o tema do disco “trata de questões interiores, reflexões que te fazem olhar pra si, mas também externalizar. É sobre o dentro e o fora. E a superfície que faz contato com essas duas partes é a PELE, por isso o título do álbum”.

E é justamente isso que faz o álbum tão interessante. Pele soa “internacional” demais para o status quo sônico tupiniquim, pela sua gama de referências, mas deveras exótico do lado de lá – se o olhar for feito partindo do prisma externo – pelo nosso idioma. Belo começo.

Ainda:

+ A arte do disco tem a assinatura do designer e ilustrador espanhol Anxo Vizcaíno, especialista em pinturas de cunho espacial e abstrato.

+ Além de multi-instrumentista, Helder Filipov também é designer.

Ouça Pele no Spotify:

Errata: esta matéria sofreu alterações em 25 de outubro de 2020 para mudar a grafia tanto no título quanto na matéria; de “Meros” para “M E R O S”; e corrigir um erro relacionado ao nome de um dos produtores; Leonardo Towns e não “Leonard” Towns.

Deixe uma resposta