You are currently viewing Lord Wind anuncia fim de hiato com novo álbum

Lord Wind anuncia fim de hiato com novo álbum

Projeto paralelo de Rob Darken ressurge das florestas com um novo disco para o fim desse mês

Por Luiz Athayde

O multi-instrumentista polonês Rob Darken (Robert Fudali)anunciou o fim do longo hiato de seu projeto darwave/folk Lord Wind. The Forest Is My Kingdom irá suceder Ales Stenar, lançado em 2012 e irá contar com uma nova formação. Além de Rob e sua esposa e vocalista Olga Fudali, ainda acompanham Katarzyna Nowosadzka, Pawel “Lumir” Semrau e Arkadiusz “Aro” Jęczmionka, entre vocais inúmeros outros instrumentos antigos da Europa e do Oriente Médio.

Outra novidade no vindouro lançamento será o uso real desses instrumentos, abandonando de vez os samples dos álbuns anteriores, enriquecendo ainda mais a atmosfera medieval do grupo. Em comunicado oficial, Darken comentou os novos rumos:

“Pela primeira vez, as vozes celestes das ninfas preencherão a música de Lord Wind com palavras cheias de feitiços e sabedoria antiga. Música nova e ao vivo, cheia de luz e fôlego da floresta. Energia e vida encantada em músicas, uma cara completamente diferente da música folclórica. As músicas do antigo Lord Wind em novas versões acústicas e composições completamente novas criadas por um novo line-up. As músicas não são apenas em polonês, mas também em outros idiomas, começando com o sueco antigo, terminando com inglês e russo! ‘The Forest Is My Kingdom’ é o começo de um novo caminho da banda. Ele contém principalmente novas composições. Em um estilo folk, mas vagando em algum lugar entre música étnica e antiga, medieval.”

Confira a capa e a lista de músicas:

1 – Chants on the Forgoten Palace
2 – Severnyj veter
3 – Leshy
4 – Czarny kruk
5 – Królowa Śniegu
6 – Oj moroz moroz
7 – Drzewo przodków
8 – Pagatinga
9 – Rusalki
10 – Cult of Seth
11 – Herr Mannelig

Formado em 1994, Lord Wind foi uma via paralela criada por Rob Darken, também líder do Graveland para focar exclusivamente em música folclórica/medieval e cinematográfica. Com álbuns profundos, mas ainda rudimentares, seus primeiros trabalhos eram praticamente como uma “one man band” e também influenciados pelo darkwave. Com o passar dos anos, o radicalismo dos dias iniciais do black metal noventista foi dando lugar a novas visões de mundo, assim como um novo “approach” em suas raízes polonesas, notadamente refletida em seus últimos trabalhos.

Seu último registro discográfico foi Dawn of the Iron Blades, com o Graveland, sucedendo um álbum ao vivo na Guatemala, da turnê latina que quase passou pelo Brasil em 2017 – cancelada pelos produtores locais por motivos “políticos”. 

The Forest Is My Kingdom já se encontra disponível no Bandcamp e também via pré-venda, acessado este link.

Please follow and like us:
Faça sua doação para incentivar nossos redatores.

Deixe um comentário