You are currently viewing Christian Death: neste dia, em 1982, “Only Theatre Of Pain” era lançado

Christian Death: neste dia, em 1982, “Only Theatre Of Pain” era lançado

Estreia do grupo norte-americano liderado pelo vocalista Rozz Williams já nasceu marcado para polemizar

Por Luiz Athayde

Hoje um dos álbuns mais influentes da esfera gótica faz aniversário. O ano era 1982 e a banda californiana Christian Death   fazia sua estreia discográfica com o Only Theatre Of Pain.

Na verdade, muito mais que isso. Liderado por Roger Alan Painter, ou melhor, o vocalista Rozz Williams (06/11/1963 – 01/04/1998) o grupo formado na cidade de Los Angeles em 1979 já havia passado por outras formações através de nomes prévios, que não deram muito certo, e em 1982 “consolidava”, com muitas aspas, claro, com o guitarrista Rick Agnew (dos Adolescents), o baixista James McGearty e George Belanger na bateria.

A produção levou a assinatura de Thom Wilson, que até aquele momento contava com álbuns de bandas e artistas como T.S.O.L. (Dance With Me, de 1981), The Adolescents (autointitulado de 1981) e até mesmo do duo folk Seals and Crofts (Takin’ It Easy, lançado em 1978).

Christian Death ao vivo no Godzilla’s Night Club em Los Angeles, 1982 (Foto: Reprodução/Calenture)

Envolto a temas mórbidos recheados de escatologia, Only Theatre Of Pain causou muito rebuliço na época. Aclamado pela crítica, o disco foi considerado uma espécie de prenúncio do que viria a ser chamado de “deathrock”, embora a primeira apresentação deles tenha sido no final dos anos 70 com o já formado 45 Grave, progenitores diretos do estilo.

Veículos como a Melody Maker chamaram de “o álbum gótico que supera todos os outros”, enquanto que a The A.V. Club foi mais a fundo, escrevendo que “ninguém exemplificou o nascente subgênero [rock gótico] com tantos tendões, visão e iconoclastia”, definindo o registro dos norte-americanos como “uma obra-prima depravada”.

Mas, juntamente com a atenção da mídia, os desafetos. E neste caso, nada mais previsível que a comunidade religiosa cristã. Na época, um apresentador desses programas cristãos fez um especial sobre influências satânicas na música, e quebrou uma cópia do álbum no ar; além de grupos de protestantes que queimavam discos da banda fora dos shows e conseguindo, inclusive, que eles fossem banidos em certos locais.

Também, pudera: além das letras e da música suja e agressiva, os shows da banda se tornavam cada vez mais elaborados, tendo Williams por vezes se apresentando com vestido de noiva ou encenando a crucificação de Cristo.

A estreia discográfica de Rozz e cia saiu pelo carimbo Frontier Records somente em vinil, sendo licenciado para territórios como França, Reino Unido e Alemanha, também em LP nos anos seguintes.

Das inúmeras reedições, a mais recente (e oficial) saiu em vinil test pressing; remasterizado e com selo branco, também via Frontier.

Ainda:

+ Os backing vocals são creditados ao artista performático Ron Athey e a Eva Ortiz, mais conhecida como ‘Eva O’, que posteriormente, já casada com Rozz Williams, formaria o Shadow Project

+ A arte da capa de Only Theatre Of Pain foi feita a mão por Rozz Williams.

Please follow and like us:
Faça sua doação para incentivar nossos redatores.

Deixe um comentário