Christian Death: neste dia em 1982 “Only Theatre Of Pain” era lançado

Estreia do grupo americano liderado pelo vocalista Rozz Williams já nasceu marcado para polemizar

Por Luiz Athayde

Hoje um dos álbuns mais influentes da esfera gótica faz aniversário. O ano era 1982 e a banda californiana Christian Death   fazia sua estreia discográfica com o Only Theatre Of Pain.

Na verdade, muito mais que isso. Liderado por Roger Alan Painter, ou melhor, o vocalista Rozz Williams (06/11/1963 – 01/04/1998) o grupo formado na cidade de Los Angeles em 1979 já havia passado por outras formações através de nomes prévios, que não deram muito certo, e em 1982 “consolidava”, com muitas aspas, claro, com o guitarrista Rick Agnew (dos Adolescents), o baixista James McGearty e George Belanger na bateria.

A produção levou a assinatura de Thom Wilson, que até aquele momento contava com álbuns de bandas e artistas como T.S.O.L. (Dance With Me, de 1981), The Adolescents (autointitulado de 1981) e até mesmo do duo folk Seals and Crofts (Takin’ It Easy, lançado em 1978).

Christian Death ao vivo no Godzilla’s Night Club em Los Angeles, 1982 (Foto: Reprodução/Calenture)

Envolto a temas mórbidos recheados de escatologia, Only Theatre Of Pain  causou muito rebuliço na época. Aclamado pela crítica, o disco foi considerado uma espécie de prenúncio do que viria a ser chamado de “deathrock”, embora a primeira apresentação deles tenha sido no final dos anos 70 com o já formado 45 Grave, progenitores diretos do estilo.

Veículos como a Melody Maker chamaram de “o álbum gótico que supera todos os outros”, enquanto que a The A.V. Club foi mais a fundo, escrevendo que “ninguém exemplificou o nascente subgênero [rock gótico] com tantos tendões, visão e iconoclastia”, definindo o registro dos norte-americanos como “uma obra-prima depravada”.

Mas, juntamente com a atenção da mídia, os desafetos. E neste caso, nada mais previsível que a comunidade religiosa cristã. Na época, um apresentador desses programas cristãos fez um especial sobre influências satânicas na música, e quebrou uma cópia do álbum no ar; além de grupos de protestantes que queimavam discos da banda fora dos shows e conseguindo, inclusive, que eles fossem banidos em certos locais.

Também, pudera: além das letras e da música suja e agressiva, os shows da banda se tornavam cada vez mais elaborados, tendo Williams por vezes se apresentando com vestido de noiva ou encenando a crucificação de Cristo.

A estreia discográfica de Rozz e cia saiu pelo carimbo Frontier Records somente em vinil, sendo licenciado para territórios como França, Reino Unido e Alemanha, também em LP nos anos seguintes.

Das inúmeras reedições, a mais recente (e oficial) saiu em vinil test pressing; remasterizado e com selo branco, também via Frontier.

Ainda:

+ Os backing vocals são creditados ao artista performático Ron Athey e a Eva Ortiz, mais conhecida como ‘Eva O’, que posteriormente, já casada com Rozz Williams, formaria o Shadow Project

+ A arte da capa de Only Theatre Of Pain foi feita a mão por Rozz Williams.

Deixe um comentário