Bauhaus: neste dia em 1981 “Mask” era lançado

Bauhaus: neste dia em 1981 “Mask” era lançado

Sucessor de “In The Flat Field” foi mais um marco na carreira do grupo

Por Luiz Athayde

Há 38 anos uma das maiores brigadas inglesas do pós-punk lançava o seu segundo álbum Mask. Peter Murphy (vocais), Daniel Ash (guitarras), David J (baixo) e Kevin Haskins (bateria, teclados) estiveram mais uma vez como Bauhaus nos estúdios Jam e Playground, ambos em Londres, para gravar um disco mais expansivo em relação ao seu trabalho anterior, a estreia In The Flat Field, de 1980.

Bauhaus (Getty Images)

E expandir no que diz respeito a nuances e estranhezas, sem deixar a obscuridade de lado, como a faixa título; um dos pontos negros (altos) do álbum. Além das passagens acústicas na música citada, outros instrumentos e elementos foram incorporados, como teclados e saxofones, assim como a veia balanço do grupo na funkeada “Kick in the Eye” e a quase jamaicana “In Fear of Fear”.

A arte teve trabalho assinado pelo guitarrista Daniel Ash, criada para sair em vinil capa dupla, para visualizar todo o desenho.

Arte completa de Mask

Kick in the Eye foi o único single saído do álbum, e alcançou a vigésima nona posição na parada ianque. Do lado da imprensa especializada, recepção calorosa, com o AllMusic se referindo ao disco como “indiscutivelmente melhor do que a estreia quase perfeita da banda” e a Trouser Press descrevendo Mask como “a melhor conquista [do Bauhaus]” e a precisa descrição feita por Alexandra Heller-Nicholas para a Fiend Magazine da Austrália, dizendo: “os sons eram mais difíceis do que os da estréia do Bauhaus, mas a introdução de melodias mais favoráveis ao pop ajudou a tornar Mask digerível para o público em geral.”.

Isso, para citar alguns exemplos, já que o mesmo também foi incluido no famoso livro 1001 Discos Para Ouvir Antes de Morrer.

Capa do 7 polegadas do single ‘Kick in the Eye’ (Imagem: Discogs)

No âmbito dos licenciamentos, Mask só chegou em Terra Brasilis em vinil no ano de 1987, via carimbo Stiletto, e em CD somente em uma edição remasterizada lançada pela Roadrunner  Records, contando com as mesmas 5 faixas bônus da edição mundial.

Em 2009 a Beggars Banquet  soltou um box da série Omnus Edition contendo 3 CDs: Mask remasterizado, Singles and Out-Takes e a coletânea This Is For When… remasterizada. Somente no Reino Unido, Europa e Estados Unidos.

Um adendo: pode-se dizer que os 5 bônus da edição remaster são verdadeiras jóias por mostrarem a banda mais experimental. A modesta “In Fear in Dub” só abre as portas para a bad trip de fristo ou, a ‘apenas’ esquizofrênica “Ear Wax”.

Se por um lado “Bela Lugosi’s Dead” mostrava uma sutil (?) influência de reggae em seu beat, “Harry” era o momento ‘Kingston às 3 da tarde’ do grupo; reggae livre, despretensioso e cheio de deboche.

Em “1. David Jay 2. Peter Murphy 3. Kevin Haskins 4. Daniel Ash”, o grupo faz uma brincadeira eletrônica em um restaurante ao pedirem “bolo de peixe”, até encerrarem de uma vez por todas com a percussiva “Satori”.

Faça sua doação para incentivar nossos redatores.

Erro no banco de dados do WordPress: [Table 'classofs_wp.wp_comments' doesn't exist]
SELECT SQL_CALC_FOUND_ROWS wp_comments.comment_ID FROM wp_comments WHERE ( comment_approved = '1' ) AND comment_post_ID = 4169 AND comment_parent = 0 ORDER BY wp_comments.comment_date_gmt ASC, wp_comments.comment_ID ASC

Deixe uma resposta

Fechar Menu