Dead Can Dance: neste dia em 1996 “Spiritchaser” era lançado

Dead Can Dance: neste dia em 1996 “Spiritchaser” era lançado

Canto do cisne do grupo australiano é marcado por um mergulho profundo na música tribal

Por Luiz Athayde

A classe de 1996 marcou o início do hiato discográfico do Dead Can Dance, que se separou logo pouco depois da turnê de seu sétimo álbum de estúdio Spiritchaser.

Gravado no Quivvy Church, Irlanda a produção teve assinatura do cantor e multi-instrumentista Brendan Perry, linha de frente da banda, juntamente com a vocalista e compositora Lisa Gerrard.

Lisa Gerrard e Brendan Perry em foto promocional via 4AD

O disco é composto por 8 músicas profundamente enraizadas no tribalismo da world music, trazendo consigo referências de músicas de países, como Peru, Chile, Haiti e Turquia, se distanciando ainda mais do darkwave de outrora, ainda que as nuances do neoclassical existam em alguns momentos.

Uma das tantas influências que regeram o álbum originou a faixa “Indus”, que dada a semelhança com “Within You Without You”, música composta por George Harrison com músicos da Índia para o clássico álbum Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, dos Beatles, obrigou Perry e Gerrard solicitarem autorização para usá-la.

Harrison a concedeu, mas a companhia discográfica exigiu que o duo desse crédito parcial pela composição.

Embora não fosse uma tradição comercial lançar singles, três foram editados pelo selo 4AD: “The Snake And The Moon”, “Nierika” e o limitadíssimo “Sambatiki”, lançado em meio a turnê e não constando no álbum.

Capa do single em Compact Disc de ‘The Snake and the Moon’

Argentina, França, Canadá, Espanha e África do Sul foram alguns dos países que tiveram suas edições em CD. Ainda houve tiragem (hoje raríssima) em LP na Itália e Reino Unido em 1996. No Brasil, Spiritchaser saiu em CD pela própria 4AD.

Ainda:

+ A turnê de Spiritchaser chegou ao Brasil em 1996, com shows no Rio e em São Paulo. Acompanhado de sete músicos, Brendan Perry e Lisa Gerrard comemoravam 15 anos juntos como banda – e se separariam logo depois.

+ O disco foi dedicado ao falecido irmão de Lisa Gerrard, Mark Gerrard.

Faça sua doação para incentivar nossos redatores.

Deixe uma resposta

Fechar Menu