Wild Nothing: neste dia em 2010 “Gemini” era lançado

Estreia discográfica capitaneada por Jack Tatum continua reverberando nos dias de hoje

Por Luiz Athayde

Uma década, praticamente uma vida. E é. Neste exato dia em 2010 o vocalista, guitarrista e compositor ianque Jack Tatum iniciava sua jornada de discos cheios rumo à esfera comumente chamada de “indie”.

Editado pelo carimbo Captured Tracks, Gemini  foi só elogios perante a crítica especializada. O site Pitchfork escreveu: “Wild Nothing não parece um exercício fácil de [encontrar um] gênero, mas uma expressão pessoal honesta, carregado de um intenso ventilador musical. E de uma maneira estranha, torna-se uma espécie de caso enganosamente alegre, um lembrete de por que tantos compositores se retiram para seus quartos ou garagens para se perderem no processo de produção musical.”

Jack Tatum em 2010 (Reprodução)

Nada diferente veio o Stereogum, nomeando como o melhor álbum de 2010. AllMusic, Consequence of Sound e Popmasters também foram mídias que deram pelo menos 4 estrelas (de 5) para a estreia discográfica de Tatum.

Em post feito no Instagram oficial da banda, o compositor comemorou a longevidade do registro, e refletiu:

“É um registro que encapsula tão perfeitamente um determinado momento da minha vida que honestamente me assusta um pouco. É muito raro ter esse tipo de documento vivo de sua juventude e acho que é o que Gemini sempre será para mim: uma parte da minha vida que é ao mesmo tempo tão familiar e tão irreconhecível.”

E não foi ao acaso. Parte das grandes influências do músico natural do estado da Vírginia, são Peter Gabriel, Kate Bush, Phil Collins, The Smiths e uma gama de artistas que fizeram suas carreiras nos anos 1980. Por esse mesmo motivo a sonoridade de Gemini vaga por vários subgêneros da New Wave, que por sinal continua ecoando tranquilamente até os dias atuais.

No âmbito dos licenciamentos, somente Austrália (via Spunk Records) e Japão (pela Fastcut Records) tiveram suas próprias edições. Além do formato digital, o disco saiu em CD, CD digipack, Cassete e LP; além de uma reedição comemorativa em vinil azul, incluindo pôster e notas assinadas por Tatum.

Deixe um comentário