Matthew Seligman, músico que tocou com Morrissey, David Bowie e Peter Murphy morre vítima de Covid-19

Baixista faleceu aos 64 anos e se encontrava em coma induzido, no St Georg’s Hospital, em Londres

Por Luiz Athayde

Morreu aos 64 anos de idade, o músico inglês Matthew Seligman, devido a complicações do coronavírus. A notícia foi confirmada por vários veículos musicais e músicos, como Thomas Dolby, que lançou trabalhos com Seligman.

Pouco antes do músico falecer, Dolby fez uma postagem atualizando sobre o então estado de saúde de Matthew, que havia sofrido um AVC (Acidente Vascular Cerebral).

Notícias muitos tristes de Kevin Armstrong agora:

“Sexta-feira: Matthew Seligman sofreu um acidente vascular cerebral do qual não se recuperará. Espera-se que ele não sobreviva por mais de 12/24 horas. Seu respirador será gradualmente retirado até o final inevitável. Estou tão triste porque tenho que suportar esta terrível notícia. Eu o amei como amigo e companheiro de música por 40 anos. ”

Matthew está em coma induzido há duas semanas, depois de ter sido internado em St. George’s London com o Covid-19. Ele tem uma esposa e dois filhos que vivem em Wimbledon. Kevin esteve em contato com eles. Ele não tem outros parentes próximos, pois seus pais se foram e seu irmão faleceu há um mês.

Eu não tenho palavras
Vou atualizar este grupo quando souber mais”

Natural da República do Chipre, Seligman cresceu na efervescente Inglaterra da falanges alternativas, fazendo nome no grupo Post-punk/Neo-psicodelia, The Soft Boys e na sequência com o Thompson Twins.

Ao longo da carreira, o baixista agregou imenso valor ao seu currículo, trabalhando com artistas, como Sinead O’ Connor, Tori Amos, Morrissey e The Waterboys. Com o ex-Smiths, assinou o baixo no single, “Ouija Board, Ouija Board”, de 1989; além de ter gravado o álbum, Love Hysteria (1988) de Peter Murphy (Bauhaus) e ter se apresentado com David Bowie, no festival Live AID, de 1985.

Deixe uma resposta