You are currently viewing <strong>Dom Salvador recebe prêmio do Global Music Awards por seu álbum “Samborium”</strong>
Foto: Reprodução/The River Café

Dom Salvador recebe prêmio do Global Music Awards por seu álbum “Samborium”

Lenda do jazz e da música brasileira ganhou a medalha de ouro na categoria ‘Best of Show’

Por Luiz Athayde

O pianista, compositor e arranjador brasileiro, Dom Salvador, recebeu mais uma vez o devido reconhecimento. O Global Music Awards premiou-o com a medalha de ouro na categoria Best of Show, por seu álbum Samborium, lançado em 2022.

A competição acontece anualmente, e visa celebrar os artistas em destaque da indústria musica de todo o mundo. Tendo como base tanto sua popularidade quanto os recordes de vendas por trabalho.

Há 46 anos Dom Salvador é pianista residente no badalado The River Café, em Nova York, cidade onde é radicado desde 1973. Em sua apresentação escrita, o GMA não economizou pompa ao descrever o ganhador: “O Dom Salvador Trio é o ganhador do Best of show desta temporada com seu álbum Samborium, premiado em jazz latino. Este disco atinge um som vibrante e sofisticado, mantendo a estética geral do jazz lounge, mas com um toque excitante e enérgico.”

Ainda no comunicado, a premiação segue dizendo que “isto fala da permanência de 41 anos de Salvador como pianista de lounge, com uma história adicional tocando com alguns dos maiores atos do jazz. Sua maestria é ouvida claramente em suas melodias limpas e arejadas e em seus complexos elementos harmônicos.”

Por fim e não menos importante, é ressaltada a formação no conjunto da obra: “As outras peças do trio, Gili Lopes e Graciliano Zambonin, têm solos fortes e expressivos no baixo vertical e na bateria, respectivamente. Eles também proporcionam e excelentes interações que deixam o piano brilhar. Este álbum apresenta todo o charme e elegância que se espera de um trio tão talentoso.”

Como o título denota, o álbum é calcado na especialidade do músico paulista de 84 anos: o samba-jazz. Aqui feito sobre uma linha imaginária entre o novo e ao apogeu do estilo, na década de 70. Das dez composições presentes no registro, seis são de sua autoria.

Quanto as outras quatro – “Monk’s Mood”, “Pannonica” e “Criss Cross”, e “Upper Manhattan Medical Group” –, releituras dos pianistas e compositores americanos de jazz, Thelonious Monk, e Billy Strahorn.

O trabalho é configurado como um trio, composto pelo pianista, mais o baixista Gili Lopes e o baterista Graciliano Zamborin, ambos também residentes na cidade de Nova York. As gravações ocorreram no estúdio Astoria Soundworks, e teve mixagem assinada por Dave Darlington (Noel, Tom Browne, Technotronic).

Além de Salvador, foram premiados pelo GMA: o guitarrista russo Roman Miroshnichenko, pelo álbum My Best Songs; o duo norte-americano/britânico, Gao Hong & Kadialy Kouyate, com House of Friendship – Terry Kunda; a compositora taiwanesa Miao Miao Flow, com o disco Szu-Chien Lu.

E ainda: Roc Flowers, Fabrizio Bosso, Max Ionata por O’vision; o pianista chinês de música clássica contemporânea, Dr. Man-Ching Yu Donald, por Unraveling for Orchestra; a vocalista espanhola Nati Boldominos, por Mi Mundo Interior; Egidija Medeksaite, compositora de música clássica contemporânea da Lituânia com o álbum, Amithaba, e o artista cazaquistanês Moldanazar, pelo seu videoclipe “Kogershin”.

Ouça Samborium na íntegra abaixo:

Deixe um comentário