You are currently viewing Depeche Mode: neste dia, em 1981, “Speak & Spell” era lançado

Depeche Mode: neste dia, em 1981, “Speak & Spell” era lançado

Era a estreia de um grupo que anos mais tarde iria dominar o mundo

Por Luiz Athayde

E lá se vai mais um ano desde a estreia discográfica de um dos maiores nomes do synthpop/alternativo de todos os tempos. Do embrião No Romance in China, por Vince Clarke e Andrew Fletcher, no desfecho dos anos 1970, e sua continuação como Composition of Sound, já com Martin Gore na formação e, por fim, a entrada de Dave Gahan para compor definitivamente os vocais. O Depeche Mode se preparava para soltar sua estreia no mercado sônico: Speak & Spell.

Depeche Mode, Junho de 1981: Dave Gahan, Martin Gore, Vince Clarke e Andrew Fletcher

Um pouco antes disso (e após algumas ofertas de selos maiores), Daniel Miller, da Mute Records, demonstrou grande interesse com a banda, propondo gravar um single com o grupo, como uma espécie de “test drive”.

Em dezembro de 1980 gravam “Dreaming of Me” e lançam em fevereiro de 1981, alcançando o 57º lugar nas paradas do Reino Unido. Animados pela ótima receptividade, engatam “New Life”, ganhando o 11º lugar no quintal de casa, e ainda rendendo aparição no Top of the Pops.

Mas seu primeiro grande sucesso veio em 7 setembro de 1981: “Just Can’t Get Enough”. Alcançando o Top 10, o single rendeu boas críticas na época, embora o grupo ainda estivesse distante de se infiltrar no mercado americano.

Com a então força motriz do grupo, Vince Clarke, tendo mais composições na manga, em outubro lançam o 1º disco. A capa é assinada pelo fotógrafo Brian Griffin, e faz uma alusão ao brinquedo homônimo (Speal & Spell).

Exceto pela Rolling Stone, o álbum foi muito bem com a crítica especializada, em uma média de 4 estrelas de 5. Quanto ao público, 10º lugar no Reino Unido, número 21 dos álbuns mais vendidos na Suécia, 45º posição na Nova Zelândia, cadeira número 49 na Alemanha e, como dito anteriormente, a banda ainda estava distante dos Estados Unidos, figurando o número 192 na Billboard 200. E mais: Disco Ouro na Suécia, Alemanha e em casa.

Capa do 7 polegadas do single ‘Just Can’t Get Enough’

No relançamento remasterizado em CD+DVD com bônus, os B-sides: “Ice Machine”, “Shout!”, “Any Second Now” e “Just Can’t Get Enough (Schizo Mix)”, além da primeira parte do documentário contando a história da banda, intitulado Depeche Mode: 1980-81 (Do We Really Have to Give Up Our Days Jobs?).

Na original, faixas ordenadas de forma diferente de acordo com a edição; a faixa 2 “I Sometimes Wish I Was Dead” é substituída por “Dreaming of Me” (Fade-out version) na edição alemã em LP e CD, já na norte-americana, “Puppets” (faixa 2) e “Dreaming of Me” (faixa 3); “I Sometimes…” fora.

No Brasil Speak & Spell só saiu em LP no ano de 1991 pelo mega carimbo Warner, constando a mesma listagem da edição ianque. Em CD o álbum saiu pela (hoje extinta) Paradoxx Music com uma capa preta, mostrando apenas uma pequena parte da arte original, constando “I Sometimes…” (faixa 2), “Puppets” (faixa 3) e “Dreaming of Me” figurando os bônus, seguida de “Ice Machine”, “Shout”, “Any Second Now” e “Just Can’t Get Enough (Schizo Mix).

Speak & Spell denota não apenas um grupo com vasto potencial, mas o avatar de futuros atos comandados por Vince Clarke, como Yazoo, The Assembly e Erasure. As únicas músicas que Clarke não assina são “Tora! Tora! Tora!” e “Big Muff”, compostas por um ainda tímido Martin Gore.

Please follow and like us:
Faça sua doação para incentivar nossos redatores.

Deixe um comentário