Você Precisa Ouvir: Shura – Nothing’s Real (2016)

Aleksandra Denton conseguiu condensar com sensatez as suas mais variadas influências em um único disco, e ainda deixar sua marca.

Por Luiz Athayde

Vai vendo: Manchester, filha de atriz russa e documentarista inglês; iniciação na guitarra aos 13, primeira gravação aos 16. Na universidade monta uma banda com o produtor Cyrus Shahrad (Hiatus), que remixou seu primeiro single River. Entre singles, eps, remixes e outros fechamentos, a essa altura Aleksandra Lilah Denton já era Shura. E melhor, com seu álbum de estreia na classe de 2016, já por um carimbo de peso (Polydor), o Nothing’s Real.

Das conexões diretas, impossível não citar  momentos oitentistas de Madonna, Peter Gabriel, Phil Collins e Sandra, trazendo uma inexistente nostalgia, ao mesmo tempo que coloca o ouvinte no seu devido lugar, ou tempo, em 2016. Aqueles sons que te remetem às enormes e belas palmeiras de Los Angeles estão todos ali, como em “Tongue Tied” e “Make It Up”. Se composta em 1986, a faixa título poderia ter entrado tranquilamente como bônus em ‘True Blue’, clássico de Madonna.

Já “What’s Gonna Be?” não poderia ser mais ‘Sessão da Tarde’: inspirado nos clássicos filmes adolescentes do diretor John Hughes, o clipe conta a história de um nerd que se apaixona por uma pessoa, mas percebe que talvez seja apenas uma necessidade momentânea, e acaba ficando com outra totalmente inesperada.

Músicas como “Touch”, “2Shy” e “What’s Happened To Us” mostram não apenas a personalidade de Shura, como de alguém que está em constante descoberta. No desfecho do álbum, temos “White Light”, uma faixa embriagada no Europop/Italo Disco, indo além de algumas falanges desse subgênero, como Den Harrow, Desireless e o mestre Michael Cretu.

Motivos para apertar o play? Muitos. Mas você precisa ouvir Nothing’s Real porque é álbum que transborda honestidade e autenticidade; Shura voltou no tempo, deixou o sex appeal lá trás e trouxe para o hoje o que realmente interessa: a música – e de quebra, ainda deixou sua marca.

Ouça o álbum completo:

Deixe um comentário