You are currently viewing The Valery Trails – Disappear [EP]

The Valery Trails – Disappear [EP]

Trio Aussie quebra hiato de seis anos com um pequeno e inspirado registro sônico

Por Luiz Athayde

O que dizer da escola australiana de sons alternativos, independentes e, por vezes, praianos? Fissurados em nomes como V. Spy V.Spy, Hoodoo Gurus, The Go-Betweens e mais amplamente, o The Church, dirão: “nada; dispensa apresentações”. Mas, como quase toda cena musical, as classes vão se renovando, e a de 2022 não foi diferente. Em outras palavras, The Valery Trails.

The Valery Trails (Foto: Divulgação)

Com toda a pompa de vir de um país para lá de frutífero no que diz respeito a música, o trio de Brisande acaba de lançar o EP Disappear nas plataformas digitais. O mesmo veio logo na cola do single (no real sentido da palavra, por ser um lançamento isolado) “Introvert Blues”, que mais serviu para dizerem ao mundo que o hiato de 6 anos acabou.

O novo trabalho se configura com 4 faixas, assinadas pelo vocalista e guitarrista Andrew Bower, o baixista Sean Bower, e o baterista Dan McNaulty. Embora editado neste exato dia, Disappear levou o tempo necessário de acordo com a pandemia da Covid-19 “permitiu”, tendo em vista que Andrew vive em Houston, no Texas, Estados Unidos, enquanto seus companheiros de banda continuam na Austrália.

Ainda assim, o resultado não falha em nenhum ponto. Afinal, estamos falando de rock com boas melodias e correntes atmosféricas vindas do Pacífico. Logo em sua abertura, a faixa-título, a sensação de que captura em algum lugar dos anos 90 se faz presente, especialmente se o ouvinte é familiarizado com Shock Poets e o rock radiofônico norte-americano que permeou aquela década.

Já em “The Days of in Between”, o grupo segue aquela linha tênue entre o punk e a new wave quando está mais para o pop. Curiosamente, o timbre de voz de Bower lembra bastante o saudoso Mike Weiley, dos Spies. Em “Brand New Start” é quase impossível não associar ao citado The Church, ao menos na introdução, mas isso não quer dizer que eles não tenham personalidade própria. Vide os belos backing vocals femininos, que aparecem como um brilho no decorrer dos seus quase 5 minutos de duração.

A despedida se dá com a sugestiva “Goodbye”. E devo dizer: se o pequeno play começasse por aqui, alguns desavisados poderiam achar que se trata de uma banda da mesma safra que gerou inúmeros nomes pós-punk influenciados pela neo-psicodelia, dali nos anos 80.

De um modo geral, EPs servem para uma aproximação maior do artista consigo mesmo, sem a pressão interna e externa com o mercado da música. Por outro lado, sem perceber, muitos acabam gerando pequenas obras discográficas justamente por conta desse viés descompromissado. E o The Valery Trails soa como se estivesse no caminho do meio.

Em suma, extended play com cara de full lenght , mas acima de tudo, com a bandeira dos sons Aussie mais hasteada do que nunca.

Ouça Disappear no Spotify:

Please follow and like us:
Faça sua doação para incentivar nossos redatores.

Este post tem um comentário

Deixe um comentário