You are currently viewing Paradise Lost: neste dia, em 1997, “One Second” era lançado

Paradise Lost: neste dia, em 1997, “One Second” era lançado

Álbum passaria de controverso para clássico em pouco mais de dez anos

Por Luiz Athayde

Hoje uma das maiores viradas de casaca da música metálica faz aniversário. Depois do mega sucesso obtido com o seminal Draconian Times (1995), o grupo inglês de West Yorkshire entrou em estúdio para revolucionar sua discografia dois anos depois com One Second.

Contando com produção do sueco Ulf Sandqvist, o núcleo Nick Holmes (vocais) e Gregor Mackintosh (guitarra), mais Aaron Aedy (guitarra base), Steve Edmondson (baixo) e Lee Morris (bateria) trouxeram à classe de 1997 doze faixas explicitamente miradas na profundidade no álbum Songs Of Faith And Devotion (1993), do Depeche Mode, e na espessura de Protection (1994), assinado pelo Massive Attack, resultando em um álbum melodiosamente frio, coeso e cativante a cada audição.

Paradise Lost em 1997 (Foto: David Tonge)

A primeira faixa e single “One Second” – duas edições: uma com “Mercy” e “This Cold Life” ao vivo e outra com um remix mais duas inéditas, “The Hour” e “Slave”; além da faixa homônima – foi um soco no estômago dos que esperavam uma continuação do Heavy/Doom Metal que vinha regularmente sendo praticado pelo grupo.

De tão forte, a gothic rock “Say Just Words” também ganhou duas versões em single; capa escura com as mais hard rock, “Cruel One” e “Soul Courageous”; mais as versões editada e original da faixa título; e outra em uma limitadíssima capa azul, se diferenciando também com os covers de The Smiths (“How Soon is Now?”) e do obscuro grupo sueco Deathrock/Doom Stillborn (“Albino Flogged In Black”).

Edição limitada do single ‘Say Just Words’

Em entrevista para a Decibel, Nick Holmes comentou sobre o novo direcionamento musical do grupo.

“Depois que gravamos o Draconian Times e fizemos uma turnê sem parar, apenas sentimos vontade de fazer outra coisa – algo um pouco menos acelerado e mais sombrio, e Greg comprou um teclado! O resultado foi ‘One Second’. Ele foi recebido de forma muito positiva, mas muito diferente do Draconian Times e naturalmente, irritou algumas pessoas. No entanto, é uma parte muito importante da jornada da banda – como todo álbum tem sido – e nós gostamos de fazer isso.”

E de fato irritou muita gente, inclusive pelo visual ‘limpo’ grupo. Por outro lado, despertou curiosidade nos fãs da esfera pop e em parte do grande público, que até então sequer sabia quem era esse tal Paradise Lost. Outro ponto fantástico em One Second é seu tratamento gráfico; carinho especial dado pela banda desde o álbum Shades Of God, de 1992.

Nas paradas britânicas: singles “Say Just Words”, 53º posição; “One Second” na 94º posição, e o álbum propriamente dito na 31º lugar. Nos países nórdicos, posições ainda mais altas: 25º na Noruega, 7º na Finlândia e 5º na Suécia.

Ainda: em 2017 foi lançada uma edição especial de aniversário de 20 anos incluindo o álbum remasterizado por Jamie Gomes Arellano (Fen, Black Eyed Peas, Orange Goblin, etc) e um CD bônus com o show gravado no Shepherd’s Bush Empire em 1998, que havia saído no DVD Evolve.

+ Um promo single de ‘Soul Courageous’ foi lançado em 1997 contendo ‘Blood Another’ e ‘Sane’.

+ Das raridades discográficas da era One Second, o single ‘True Belief’97’, contando com a versão cantada e instrumental de 1997 da faixa homônima, o cover para “How Soon Is Now” do The Smiths, e entrevistas com Nick Holmes e Gregor Mackintosh em faixas separadas.

Please follow and like us:
Faça sua doação para incentivar nossos redatores.

Deixe um comentário