Morre Ennio Morricone, o mestre italiano das trilhas sonoras, aos 91 anos

Maestro faleceu nesta segunda, em Roma

Por Luiz Athayde

Morreu hoje, segunda-feira (6) o maestro e compositor italiano Ennio Morricone, aos 91 anos de idade.

Há alguns dias Morricone se encontrava internado (via Reuters) em uma clínica em Roma, em função de uma fratura do fêmur, ocorrida após uma queda. Segundo comunicado de imprensa, ele se estava “lúcido e mostrou grande dignidade até o momento final”.

Excelência em trilhas sonoras, Morricone assinou, entre composições e arranjos, mais de 500 músicas para filmes e séries de televisão, sendo extremamente conhecido no universo do chamado “faroeste italiano”, especialmente dirigidos por Sergio Leone.

Mas sua influência ultrapassou as fronteiras do cinema, chegando nas demais esferas musicais, como a new wave e suas variantes, a exemplo de bandas, como Modern Eon, Tindersticks,  Portishead e, especialmente, Fields of the Nephilim, que inclusive incorporou elementos visuais do filme de 1968 “Era Uma Vez no Oeste”, de Leone e sempre citava Morricone como um dos responsáveis indiretos pela sonoridade do grupo.

Dos incontáveis prêmios ao longo da carreira, o Oscar foi o último a reconhecer sua maestria; em 2016 o italiano recebeu a estatueta pela trilha sonora do filme Os Oito Odiados, de Quentin Tarantino, embora concorresse desde 1979, com Cinzas no Paraíso, de Terrence Malick.

Em outubro Morricone ganharia mais um prêmio e dessa vez juntamente com o compositor John Williams; o Princesa das Astúrias das Artes na Espanha, após anuncio feito no último mês de junho.

Deixe um comentário