Moonspell reedita “Sin/Pecado”, disco da era eletrônica

Um dos álbuns mais originais do portugueses ganha luxuosas versões em vinil e CD pelo carimbo Napalm Records

Por Luiz Athayde

A falange lusitana Moonspell anunciou recentemente o relançamento do seminal álbum de sua era eletrônica. Originalmente lançado em 1998, Sin/Pecado agora ganha novas edições em vinil branco capa dupla, com um single de bônus em 7 polegadas contendo os remixes de “Magdalene” e “2nd Skin”, ambos assinados pelo guitarrista/tecladista Pedro Paixão, limitado em 666 cópias; vinil amarelo capa dupla, também incluindo o compacto de remixes, e em CD digipack.

Ao comentar sobre o álbum, o vocalista Fernando Ribeiro relembrou o período convergido com outros nomes da mesma esfera metálica:

“Foi um ano estranho para nós, Paradise Lost, My Dying Bride, que estavam se soltando e pareciam também estar no mesmo clima que nós, ou vice-versa. Não importa. O metal estava girando a roda e todos estavam em queda. Nós resolvemos fazer de qualquer maneira. Não era como Moisés abrindo o mar, mas às vezes doía se sentir sozinho. Curiosamente, muitas outras pessoas entraram no clima de Sin alguns anos depois e agora elas nos imploram para tocar essas músicas ao vivo. Se você está lendo isso e precisa de outro gosto pelo pecado, vamos nos deliciar e pegar essa segunda pele do armário profundo do final dos anos 90.”

Formado em Lisboa no desfecho da década de 80 como Morbid God, o grupo liderado por Fernando Ribeiro – que também ostenta dotes de escritor com 5 livros lançados e assinatura em consideráveis traduções literárias – nunca teve problemas em experimentar. Começando a jornada com álbuns de influência mais gótica ao seu black metal, a fase experimental dos portugueses foi uma extensão natural de uma banda que sempre buscou inovar.

O risco tomado naqueles tempos ainda rendeu outro álbum que sofreu duras críticas com os fãs mais radicais, The Butterfly Effect (1999), mantendo a brigada de bandas que lançaram mão de uma sonoridade mais alternativa, em contraponto com o estilo mais conservador da música extrema dos anos 1990.

Atualmente a banda se encontra em turnê, ainda divulgando 1755, lançado em 2017. O álbum divaga pela grande enchente ocasionada por um terremoto ocorrido naquele ano, com todas as músicas em português e ainda contando com uma versão de “Lanterna dos Afogados”, dos Paralamas do Sucesso.

A reedição de Sin/Pecado tem previsão de saída no dia 13 de dezembro via carimbo Napalm Records, mas a pré-venda já se encontra disponível neste link.

Deixe um comentário