You are currently viewing Everything But The Girl oficializa retorno com a primeira inédita em 24 anos; “Nothing Left To Lose”
Foto: Edward Bishop

Everything But The Girl oficializa retorno com a primeira inédita em 24 anos; “Nothing Left To Lose”

“Queríamos voltar com algo moderno”, revela icônico duo pop eletrônico

Por Luiz Athayde

Que atire a primeira pedra quem nunca ouviu o mega hit “Missing” ou sequer ouviu falar. Pois é, o Everything But The Girl, duo responsável por esses e outros sucessos da esfera dance pop está oficialmente de volta.

A mentes por trás do ato inglês é Tracey Thorn e Ben Watt, que juntaram suas forças criativas em 1982 na cidade de Hull. Sua estreia discográfica foi com o autointitulado registro de 1984, e após editarem Temperamental em 1999, a dupla entrou em um longo hiato.

Ao contrário do que muitos nomes fazem ao retornar as atividades, o Everything But The Girl quer passar longe do saudosismo. “Nunca fomos uma banda particularmente nostálgica – sempre fomos conhecidos por fazer um disco diferente a cada vez”, disse Watt em recente entrevista exclusiva para o NME.

“Queríamos voltar com algo de som moderno. Não estamos lá fora na trilha da história fazendo turnês de ‘best of’ ou tocando em arenas. Só queríamos fazer um trabalho que soasse bem agora em 2023. Essa era a força motriz.”

E o mesmo já tem nome: Fuse. Um álbum composto por 10 faixas. Dentre elas, seu primeiro aperitivo, intitulado “Nothing Left To Lose”. Curiosamente, esta foi a última composição a entrar no play. Thorn comentou mais a respeito:

“Tivemos a música com algumas letras diferentes que eram apenas cerca da metade do que são agora. […] “Era mais vaga e teórica e eu simplesmente não conseguia entender porque não estava funcionando, então houve um momento em que percebemos que a música era tão urgente, direta e emocional que a letra precisava ser isso.”

Ao discorrer sobre a letra, a vocalista conta que “de lá eu a escrevi muito rapidamente. É apenas uma letra clássica, desesperada e ansiosa por tentar se conectar com alguém. […] “Eu escrevi a letra, voltei e Ben me disse que tinha estas outras linhas: ‘Beija-me enquanto o mundo decai, beija-me enquanto a música toca’. Nós as colocamos no final porque era uma linha assassina”.

A música veio acompanhada de um videoclipe assinado por Charlie Di Placido, conhecido especialmente por seu trabalho com o Jungle, que aliás, foi o nome fundamental para a escolha da direção. “Eu disse que o Jungle sempre faz vídeos muito bons, então nós os pesquisamos no Google e chegamos até Charlie. Ele ficou imediatamente muito entusiasmado.”

Sobre o roteiro, Tracey revela que queria algo simples, em apenas uma tomada, mas que não fosse óbvio: “A gente só queria algo para dramatizar a energia e a emoção da pista”.

Confira o resultado abaixo:


Fuse sai do forno em 21 de abril via carimbo Virgin/Universal Music, e sua pré-venda já está valendo nos formatos CD (edição simples, e deluxe com blu ray com bônus) e LP (edição vinil preto “Half-Speed”). Além do combo CD+LP. Acesse este link.

A seguir, mais detalhes incluindo capa e lista completa de músicas:

1. Nothing Left To Lose
2.
Run A Red Light
3.
Caution To The Wind
4.
When You Mess Up
5.
Time And Time Again
6.
No One Knows We’re Dancing
7.
Lost
8.
Forever
9.
Interior Space
10.
Karaoke

Deixe um comentário