Antonio Bivar: de Simone Beauvoir ao Punk no Brasil

Fizemos um pequeno raio x do escritor, dramaturgo e uma das peças-chave na divulgação do punk brasileiro

Por Luiz Athayde

Você provavelmente sabe o que é punk, mas e quem foi Antonio Bivar ? Esse ano o autor do livro O Que É Punk,  idealizador e um dos organizadores do festival O Começo do Fim do Mundo completa 81 anos e, à exceção dos punks que conviveram com ele e pelo mesmo foram documentados, pouco se sabe sobre sua trajetória.

Antônio Bivar Baptistetti Lima nasceu em São Paulo da classe de 1939, no Brasil do Estado Novo, e entrou no universo cultural brasileiro na década de 60; se formou no Conservatório Nacional de Teatro no Rio de Janeiro e em pouco tempo montou sua primeira peça, Simone de Beauvoir, pare de fumar.

De mote pop, com um humor irônico e lançando mão de novas situações e temáticas, Cordélia Brasil, Alzira Power e Abre a janela e deixa entrar o ar puro do sol da manhã hoje são montagens referenciais dentro do teatro moderno brasileiro.

Antonio Bivar e a dramaturga Leilah Assumpção em Londres, década de 70

Como nem tudo eram flores, Bivar se exilou voluntariamente na Inglaterra. Em Londres, vivencia a efervescente contracultura ocorrida entre o final das décadas de 1960 e começo de 1970. De volta ao Brasil, ampliou seu currículo dirigindo shows de Rita Lee e Maria Bethânia, e conhece o movimento punk brasileiro, do qual se apaixona imediatamente por sua ingenuidade, energia e extrema honestidade.

“Me identifiquei na hora, porque também tive uma adolescência dura, de trabalho braçal. Uma adolescência muito mais parecida com a dos punks do que com a da classe média hippie, que morava bem, vinha de boas famílias”, disse o escritor e dramaturgo, em entrevista à Cândido.

Isso lhe inspira a escrever seu primeiro, básico, mas seminal livro O Que É Punk, onde passa um pente fino desde suas origens até o então ano de 1982. Poucos meses depois, juntamente com Antônio Callegari, guitarrista dos Inocentes, organiza o primeiro festival punk do Brasil O Começo do Fim do Mundo, contando com 20 bandas e um público de aproximadamente 3.000 pessoas.

Livro ‘O Que é Punk’, 1982. Imagem: arquivo pessoal

Já nos anos 1990, especificamente em 1993, vai para a fazenda Charleston, em Sussex, Inglaterra para ser um dos 21 alunos, entre acadêmicos americanos e europeus, a estudar a obra da escritora Virginia Woolf, no chamado Grupo de Boomsbury.

Graças ao seu destaque, Bivar é o único brasileiro a pertencer à Virginia Woolf Society of Great Britain, assim como o único latino-americano a participar do encontro anual dos que preservam o legado de Bloomsbury.

Obviamente mais um livro sairia dessa experiência: Bivar na Corte de Bloomsbury, editado em 2005, que na verdade, é apenas mais uma extensão da sua própria linha do tempo iniciada em O Que É Punk, até hoje seu livro mais conhecido no meio musical.

Não à toa, sua amizade com os punks perdura até os dias atuais, como relatou à Cândido: “Há alguns anos, fui atropelado por um ônibus em São Paulo, quebrei costela, etc. Acredita que um dos bombeiros do resgate era um punk que me reconheceu? Ele me ajudou, avisou o pessoal do movimento e várias pessoas vieram me procurar, para saber como eu estava”.

Antonio Bivar em São Paulo, 1987. Foto: Lailson Santos

Reconhecer o legado de Antonio Bivar se torna uma tarefa fácil após perceber sua peculiaridade e humor ao falar das pessoas, seu convívio com elas, mas também dos lugares onde por andou, assim como seus costumes. Bivar continua morando em São Paulo e atualmente escreve para a revista Joyce Pascowitch.

Livros:

1 O que é Punk (1982, editora Brasiliense)
2 James Dean (1984, editora Brasiliense)
3 Verdes Vales do Fim do Mundo (1985, editora Brasiliense)
4 Longe daqui, Aqui mesmo (1995, editora Best Seller/Círculo do Livro)
5 Chic-a-Boom (1991, editora Siciliano) (2005, editora A Girafa)
6 Yolanda (2004, editora A Girafa)
7 Jack Kerouac: O Rei dos Beatniks (2005, editora Brasiliense)
8 Bivar na Corte de Bloomsbury (2005, editora A Girafa)
9 Histórias do Brasil Para Teatro (2007, editora Novo Século)
10 Contos Atrevidos (2009, editora Prumo)
11 O Teatro de Antônio Bivar/As Três Primeiras Peças (2010, editora Impresaoficial)
12 Mundo adentro, Vida afora (2014, editora L&PM)
13 Aos Quatro Ventos (2016, editora Reformatório)
14 Perseverança (2019, editora Humana Letra)

Deixe um comentário