Conheça 10 documentários musicais para assistir na quarentena

Conheça 10 documentários musicais para assistir na quarentena

Do jazz ao synthpop, e tudo o que envolve o universo do Class of Sounds

Por Luiz Athayde

Os tempos são sombrios nas ruas devido a pandemia do coronavírus, mas não precisa ser assim em casa, com a quantidade de filmes e séries disponíveis, especialmente para quem tem Netflix ou possui aptidões com o torrent e afins.

Por isso mesmo fizemos uma seleta de documentários que, direta ou indiretamente envolvem música. Ficar em casa sim, mas com bons sons… e vídeos. Confira.

Rubble Kings – Os Reis Do Bronx (2010)

É fã de Os Selvagens da Noite (The Warriors) ? Pois bem, saiba que muitos anos antes do lendário filme de 1979, dirigido por Walter Hill, aconteceu uma verdadeira guerra entre gangues, que em seu desfecho, originou nada menos que a cultura hip hop no Bronx.

Conta com depoimentos de vários ex-membros dessas gangues, incluindo Lance Taylor, mente mestre do Afrika Bambaataa.

Synth Britannia (2009)

Produzido pela BBC, este documentário passa um pano geral na história da música eletrônica feita na terra da rainha nos anos 70 e 80, contando com entrevistas feitas com seus originários.

Depeche Mode, Orchestral Manoeuvres in the Dark, Human League e Gary Numan são apenas alguns dos nomes a figurar este fantástico registro audiovisual com cara de enciclopédia; ou melhor: “synthopedia”.

Chasing Trane: The John Coltrane Documentary (2016)

Falar da importância de John Coltrane para o jazz e a música em geral seria chover no molhado se não exististisse tanta dedicação envolvida em uma produção como essa.

Chasing Trane é uma verdadeira perseguição ao ser humano que teria sua vida e obra transcendida pelo tempo. De sua gênese, no sul de uns Estados Unidos segregado racialmente, ao êxodo criativo pós-Miles Davis e Charlie Parker e além. Documentário essencial tanto para quem respira, quanto para quem deseja respirar os novos aromas do jazz – criados por ele.

David Bowie: Os Últimos 5 Anos (2017)

Mais uma produção da BBC de encher os olhos de lágrimas. Pudera:  David Bowie: The Last Five Years mergulha fundo na intimidade de um dos artistas que reconfiguraram a esfera musical como um todo, inclusive no que diz respeito ao music business.

Focado nos últimos 5 anos de sua vida, o documentário envolve do início ao fim; cortesia da carga emocional emanada nos depoimentos e do material raro e inédito que é apresentado.

Sem Dentes: Banguela Records E A Turma De 94 (2015)

Não há dúvidas que a classe de 94 moldou o status quo sônico no perímetro que compreende o território brasileiro. De Raimundos a Planet Hemp, Maskavo Roots a Chico Science & Nação Zumbi; todos devem seu despontamento ao produtor Carlos Eduardo Miranda, um dos criadores do selo Banguela Records, chancelado pela Warner Music.

Documentário com tranquilas induções à nostalgia, embora o mote seja traçar o panorama de um período tão fértil e reconhecido, dentro do cenário do rock nacional.

Don’t You Forget About Me (2009)

Houve um tempo em que filmes como Curtindo a Vida Adoidado (1986), Gatinhas e Gatões (1984), Clube dos Cinco (1985) e Mulher Nota 1000 (1985) tinham cadeiras cativas na Sessão da Tarde, da Rede Globo.

Mas o que esses filmes carregam em comum? É exatamente isso que é abordado neste documentário que leva o nome de uma música gravada (a mais famosa, diga-se) pelos escoceses do Simple Minds, em um tributo ao diretor destas e outras produções, além de ser responsável por colocar a música na posição de destaque de seus filmes; o norte-americano John Hughes.

Rise Up: Stories From Jamaica’s Music Underground  (2008)

Rise Up está longe de ser apenas um documentário sobre reggae. É um manifesto musical underground, feito nas entranhas da Jamaica por alguns de seus inúmeros talentos, que não só respiram, mas são a música.

As sequelas da independência da coroa inglesa persistem até os dias atuais, mas nem isso impede aquele povo – na verdade, é um dos seus vários combustíveis – de criar, produzir, lançar e dar sua cara a vários “tapas”; com e sem aspas.

Until The Light Take Us (2008)

Documento definitivo sobre o Black Metal norueguês. Um dos países mais ao norte do planeta como arte e extremismo – performances, assassinatos ,suicídios e queimas de igreja –, sob uma névoa tão escura quanto a transparência do qual aquela cena musical é mostrada.

Registro imprescindível assinado pelo casal de cineastas norte-americanos, Aarom Aites (1969 – 2016) e Audrey Ewell.

All Tomorrow’s Parties (2009)

Documentário focado no festival alternativo de mesmo nome, que acontece na baixa temporada, no litoral inglês. Capitaneado pelo pessoal do Belle & Sebastian, All Tomorrow’s Parties oferece uma curiosa combinação de música, minigolfe e chalés.

Não bastasse isso, cada banda/artista que sobe no palco é chancelado por outros músicos, que não necessariamente se apresentam no evento em questão. Tudo feito em quase que uma colagem, envolvendo sua história e o espírito livre de um universo musical alternativo.

No Line-up: Battles, Belle & Sebastian, Slint, Mogwai, The Gossip, Animal Collective, Iggy Pop and The Stooges, Lightning Bolt e muitos outros.

Skinhead Attitude (2003)

Cru, incisivo, desmistificador. Skinhead Attitude é um clássico do gênero justamente por conter os adjetivos citados.

Ainda hoje, muitos associam skinhead a neonazismo e ideologias afins, mas não sabem que o termo tem uma origem bem distante do racismo, e tem sua origem na Jamaica do ska, do reggae.

Para tal feita, este documentário gira em torno de uma skinhead francesa, Karole, mostrando desde entrevistas com ícones do ska, punk rock e oi!, como Laurel Aitken, Bad Manners e Roddy Moreno, a uma exploração profunda das organizações terroristas de extrema-direita, como o Combat 18.

Faça sua doação para incentivar nossos redatores.

Deixe uma resposta

Fechar Menu